domingo, 14 de setembro de 2014

BAHIA - AS PRIMEIRAS PRANCHAS

Histórias do evento Surf LEGENDS Nordeste

No início de setembro, em Baía Formosa (RN), Fred Tambon, pioneiro do surf baiano, contou algumas passagens do início do surf no Nordeste Brasileiro. Falou das primeiras pranchas de Madeirite que apareceram em Salvador, da lendária fábrica de pranchas Haty, que depois mudou para o Rio...

CLIC NO LINK ABAIXO E ASSISTA:


ENTREVISTA CONDUZIDA PELO ORGANIZADOR DO EVENTO
“I ENCONTRO SURF LEGENDS NORDESTE”, HELDER AMARAL.
REGISTRO DO FOTÓGRAFO CARIOCA – NELSON VEIGA

As histórias contadas por Fredão merecem ser ouvidas e a forma colorida de narrativa destes pioneiros \ legends fica bem escrita, mas o registro em vídeo destes relatos também é admirável. No fundo o que Nelson Veiga fez foi captar um papo descontraído entre Brothers do Surf.

A principal estrela do encontro foi a presença de Fabio Gouveia, que já pode ser considerado um Legend, um Ícone do surf brasileiro.


HELDER AMARAL E FABINHO EM FOTO DE NELSON VEIGA
BAÍA FORMOSA – SETEMBRO 2014

Fabio Martins Gouveia começou a surfar nas praias de João Pessoa, foi na praia do Bessa que Helder viu a linha de Fabinho pela primeira vez, era o início dos anos 80 e Gouveia tinha 10 para 11 anos. Hoje Helder mudou-se para o Rio Grande do Norte e mora em Baía Formosa, praia instrumental no DNA ‘surfístico’ de Fabio Gouveia.


FABIO GOUVEIA, BAÍA FORMOSA – SETEMBRO DE 2014
FOTO DE NELSON VEIGA

Fabinho Gouveia e Teco Padaratz, dois ÍCONES do livro “A GRANDE HISTÓRIA DO SURF BRASILEIRO”, que será lançado no ano que vem, foram entrevistados em minha viagem ao Sul do Brasil, no primeiro semestre deste ano. Suas entrevistas ainda nem foram publicadas aqui (bem como diversas outras que já fiz), mas um resultado desta jornada ao SUL pode ser encontrado na postagem de Abril 2014 deste BLOG. Procurem e cliquem. Muitos surfistas interessantes têm pequenos relatos publicados aqui.

Os fotógrafos de surf são das personalidades mais influentes no estilo de vida dos promissores talentos que ingressam no esporte. Seus registros são o que dá embasamento visual às façanhas dos surfistas. Nelson Veiga é um dos mais carismáticos fotógrafos cariocas. Ele, como muitos outros jornalistas do sudeste, do sul e do nordeste, ajudou a formar jovens surfistas. Quando trabalhei como editor da revista Hardcore, lembro dele trazer matérias exclusivas e pioneiras, como a primeira viagem dos irmãos Lee e Leo Neves à Costa Rica. Eram garotos, menores de idade, Nelson fotografou e cuidou deles na trip. Leo se transformaria em campeão brasileiro e um dos 50 melhores surfistas do mundo, seguindo o circuito mundial. Outro ato pioneiro de Nelson foi trazer uma foto de Beto Cavaleiro, em uma viagem a Puerto Escondido, numa onda enorme, com o fotógrafo colocando-se debaixo da zona de impacto para fazer clics inusitados. Numa época em que ninguém (nem gringos) havia se arriscado desta forma em Puerto, quebrando chão novo mesmo.


NELSON VEIGA, DE CAMISETA PRETA, BEM AO LADO DE FABIO GOUVEIA, EM MEIO A LEGENDÁRIOS SURFISTAS NORDESTINOS E OUTROS AMIGOS QUE PRESTIGIARAM O ENCONTRO


UMA AMOSTRA DO CRIATIVO TRABALHO DE NELSON VEIGA É ESTA CAPA DE 1993, COM O SURFISTA WASHINGTON SMURF EM SESSÃO DE SURF NOTURNO NO ARPOADOR

Um comentário:

  1. Para mim sempre foi uma honra e um prazer trabalhar ao lado de pessoas como Reinaldo Andrauss. Me sinto extremamente lisonjeado pela inclusão do meu nome em um livro como este que narra a verdadeira HISTÓRIA DO SURF
    Obrigado Dragão
    Forte abraço

    ResponderExcluir